segunda-feira, 24 de julho de 2017

Capítulo Trinta e Um

Na quinta-feira seguinte, Vanessa acordou cedo e não conseguiu voltar a dormir. Ela estava deitada na cama, com a cabeça no peito de Zac e seu braço ao redor dele, e ouvia seus batimentos cardíacos estáveis. Ele estava respirando lentamente e de maneira uniforme e, estranhamente, não se mexeu quando Vanessa levantou a cabeça e deslizou para fora da cama. Ele provavelmente estava muito cansado - ele trabalhou no bar na noite anterior. Vanessa tinha insistido em ficar em casa e não ir com ele, apesar de seus esforços para convencê-la do contrario. Eles mal ficaram separados por mais de uma hora em mais de três semanas, e Vanessa achava que seria bom para eles ficarem longe um do outro por algumas horas. Zac ficou amuado, e fez a sua irresistível expressão com olhos tristes, que normalmente conseguia tudo o que ele queria, mas desta vez ela não recuou.
Quando ele finalmente chegou em casa, já passava das 02hs. No momento em que Vanessa abriu a porta para ele, ele se lançou sobre ela, beijando-a com tal urgência que, se ela não soubesse que eles estavam separados por cinco horas, ela teria pensado que tinham sido cinco dias. Ele fez amor com ela e segurou-a nos braços como se ela fosse desaparecer, se ele a soltasse.
Só de pensar em quão rápido o final de suas férias se aproximava, deixava o peito de Vanessa apertado, e ela achava difícil respirar. Um pouco mais de duas semanas, era tudo o que restava do tempo dela com Zac. Como ela poderia continuar a viver a sua vida, como se nada tivesse acontecido? Como se ela não tivesse o conhecido? Não o amava com todo o seu ser?
Uma lágrima escorria pelo seu rosto e ela a afastou com raiva, deslizando silenciosamente do quarto. Ambos sabiam no que eles estavam se metendo, era um relacionamento com data de validade, desde o início. Sem drama, eles haviam dito.
Tão difícil como seria partir, Vanessa não se arrependia de um único segundo que ela passou com Zac. Ela faria tudo de novo, mesmo que ela tivesse que ter seu coração partido irreversivelmente novamente. As últimas semanas tinham sido as mais felizes de toda a sua vida e ela não trocaria por nada.
— Hey... O que há de errado? — Ashley perguntou. Ela estava sentada na mesa de jantar tomando café, e tinha um pedaço de papel na mão.
— Nada, eu só... Não dormi bem. — Vanessa serviu-se de uma xícara de café e se juntou a Ashley na mesa.
— Onde está o Zac? Ele não veio noite passada?
— Ele veio. Ele ainda está dormindo e eu não queria acordá-lo.
Ashley colocou a mão no antebraço de Vanessa para chamar sua atenção, antes de dizer:
— Você sabe que sempre pode falar comigo, né? — Vanessa assentiu, embora, neste caso, ela não pudesse falar com ela. Ela não estava pronta para admitir que estivesse apaixonada por Zac e não queria deixá-lo. — Esta é a primeira manhã desde que vocês começaram a namorar, que vocês não descem juntos. Tem certeza de que está  tudo bem?
— Sim, eu tenho certeza. Apenas deixe pra lá, ok? — Vanessa rosnou, e imediatamente se arrependeu. — O que é isso? É um bilhete? — Ela apontou para o pedaço de papel que Ashley tinha colocado em cima da mesa na frente dela, em uma tentativa de levar a conversa para outra direção.
— Sim, um bilhete da mamãe. Ela é muita excêntrica... Quem deixa bilhetes nos dias de hoje? — Ashley revirou os olhos e leu em voz alta:
Queridos filhos (isso inclui você, Zac, uma vez que, aparentemente, mora na minha casa agora),
Por favor, estejam em casa para o jantar ás 07:00 em ponto! Eu tenho uma grande surpresa para todos vocês! Não se atrevam a se atrasar! Oh, a propósito, façam o jantar. Eu não vou estar em casa até ás 7, eu tenho algo para fazer primeiro. Mal posso esperar para ver todos vocês em um só lugar para a surpresa!
Amor, Niki.
— Estranho — disse Vanessa, pegando a nota de Ashley e relendo-a.
— Eu sei. Estar em casa para o jantar, mas fazer o jantar? Eu não tenho ideia do que ela está preparando. — Ashley bebeu o último gole de seu café, e levou a xícara para a pia.
*
Zac acordou e encontrou a cama vazia ao lado dele. Ele se levantou abruptamente e olhou em volta, mas não havia nenhum sinal de Vanessa. Ele sentiu uma dor aguda no peito que era tão forte que por um momento ele ficou tonto. Ontem à noite, quando ele passou a noite inteira sem ela, foi pura tortura. Tudo o que ele conseguia pensar era nela. Ele estava no limite, deixando as garçonetes e Marco irritados e impacientes com os clientes. Isso era tão diferente - ele geralmente gostava bastante de trabalhar no bar. Ele ficou olhando para o relógio e sentia como se o tempo tivesse abrandado a uma velocidade insuportável. Sem ela, Zac se sentia desequilibrado, inquieto. Sozinho. Vazio.
E dolorosamente ele lembrou que, em breve, estaria de fato sozinho, ela estava partindo em cerca de duas semanas.
Ele não podia deixar isso acontecer. Ele não podia perdê-la.
O simples pensamento de nunca mais ver Vanessa novamente fez todo o seu corpo tremer. Passando as mãos trêmulas pelos cabelos, ele balançou os pés para fora da cama e saiu para procurá-la. Por que ela saiu da cama sem ele? Ela nunca tinha feito isso antes. E ainda eram apenas 09:00 hrs, considerando que não tinham dormido até passado das 4:00, eles não tinham tido tanto tempo assim de sono.
Onde diabos ela estava?
Zac ouviu a voz dela na cozinha e dirigiu-se para lá, não se importando que estava usando apenas cueca. Vendo Vanessa em pé na pia conversando com Ashley o fez relaxar um pouco.
Amor — ele disse para atrair sua atenção. Ela olhou para ele, surpresa, e seus belos lábios cheios se esticaram em um sorriso.
Por que você está acordado? Ainda é cedo. — Ela veio até ele e abraçou-o pela cintura.
Eu acordei e você tinha ido embora. — Ele percebeu o quão sentimental aquilo soou, mas ele não deu a mínima. Ele queria que ela se aconchegasse ao lado dele enquanto ele dormia, não se esgueirando da cama. — Por favor, volte para a cama. Eu não consigo dormir sem você. — Ele beijou a ponta do seu nariz e colocou o cabelo atrás da orelha esquerda. O que ele vai fazer quando ela partir? Sofrer de insônia para o resto de sua vida?
Ok — ela sussurrou e soltou de seu abraço. Ele segurou a mão dela com firmeza na sua, com medo que ela mudasse de ideia e decidisse ficar aqui com Ashley. — Ash, eu vou voltar para a cama. Que tal ir ao supermercado esta tarde para comprar a comida para o jantar?
Ok. Eu estarei no meu estúdio, eu não vou trabalhar hoje. Me avise quando estiver pronta para ir. — Ashley não fez qualquer comentário sobre Zac estar de cueca, ou que isso não era respeitoso, ou o fato de que ele tinha arrastado Vanessa de volta para a cama com ele. Estranho. Normalmente, ela teria jogado pelo menos cinco comentários provocadores até agora.
Isso não importa. Vanessa estava voltando com ele.
Eles se aconchegaram debaixo das cobertas e ele puxou o corpo dela contra o dele, pressionando-a contra o peito até que não havia espaço para até mesmo o ar entre eles. Zac beijou a nuca e seu pescoço e inalou o perfume de seus cabelos.
Casa. Ele estava em casa.
Para onde ele iria quando ela partisse? Para sua casa vazia, onde ele mal via a sua mãe e sua irmã? Ele não podia ficar aqui, nem mesmo se Ashley ou Niki não se opusesse, mas ele não poderia imaginar se hospedando aqui sem Stella.
Sem Stella ele não tinha uma casa.
A emoção tomou conta dele e ele sentiu todo o seu corpo começar a tremer.
Você está bem? Você está com frio? — Vanessa perguntou.
Eu estou bem. Eu senti sua falta. — Ele forçou seu corpo a parar de tremer e tentou relaxar. Ela estava aqui agora, tudo estava bem.
Zac queria dizer a ela o quanto a amava, como ele não queria que ela o deixasse, como eles poderiam fazer isso funcionar, mesmo depois que ela voltasse para Londres.  Ele simplesmente não podia. Especialmente com o enorme nó na garganta. E se ela falasse que não se sentia da mesma maneira e ele fodesse completamente as duas últimas semanas que eles tinham juntos? Ele esperou por tanto tempo, ele podia esperar por mais alguns dias. Ele diria a ela, mas não ainda.
Forçando o ataque de pânico que ele tinha acabado de experimentar a diminuir, Zac fechou os olhos e, aliviado pela respiração tranquila de Vanessa, adormeceu.
*
Eram quase sete, e Vanessa sentia-se estranhamente nervosa. Sua tia não lhes tinha dado qualquer pista sobre qual era sua surpresa, mas todos sabiam que deveria ser algo grande, porque Niki não era uma boa pessoa para guardar segredos.
Ei, como está indo o jantar? — Perguntou Ashley, caminhando até a cozinha. Ela não tinha ido com eles ao supermercado, e se recusou a sair de seu estúdio para ajudar no preparo da comida. Não que Zac precisasse de ajuda - como de costume, ele fez tudo sozinho. Vanessa foi encarregada de fazer a salada e provar o molho para a almôndega tagliatelle a cada dez minutos. Quando entrava na cozinha, Zac ficava obcecado com a perfeição.
Está bom, eu acho. Eu não estou fazendo muita coisa. — disse Vanessa, enquanto cortava alguns tomates cereja para a salada. Zac se afastou do fogão e caminhou em direção a Vanessa, curvando-se para beijá-la.
Você está fazendo muito, baby. Você está entretendo o chef, e isso é um trabalho muito importante. Você sabe o tamanho da lista de espera para essa posição? — Vanessa e Ashley riram.
Sim, muito grande. — disse Ashley, o sarcasmo escorrendo de suas palavras e fazendo Vanessa rir ainda mais. Aqueles dois adoravam provocar um ao outro, e Vanessa estava feliz em colher os benefícios dessa diversão.
Ash está com ciúmes, porque ela costumava ser a principal animadora do chefe. Zac disse com um sorriso. — Mas essa boca espertinha que ela tem, sempre a colocou em apuros.
Não é minha culpa se você é tão fácil de enganar. Ou que você é tão imaturo, que a única maneira que você pode responder de volta as minhas piadas seja com violência física ou jogando comida em mim. — Ashley pegou uma garrafa de água na geladeira e caiu sobre o assento ao lado de Vanessa.
Violência física? Quando foi que eu já usei “violência física”? — Ele fez aspas no ar com os dedos e encostou-se ao balcão, uma expressão divertida em seu rosto.
Quando você me girou sobre seu ombro e me jogou no sofá, gritando comigo para não voltar para a cozinha. Ou quando você me empurrou na piscina, depois que eu disse que você queimou as costelas no churrasco de novo.
Oh, sim. Eu me lembro disso — Zac sorriu com a lembrança, enquanto Ashley franzia a testa.
Realmente, por quê? Você não poderia conseguir nada melhor do que isso? — Ashley disse a Vanessa, inclinando a cabeça para Zac.
Vamos lá, deixe ele em paz. — Vanessa sorriu para Zac, que soprou-lhe um beijo no ar. Ashley revirou os olhos e levou a garrafa aos lábios. — Antes que ele te jogue na piscina de novo. — acrescentou Vanessa. Zac riu e, cobrindo a distância entre eles em dois passos largos, reivindicou sua boca em um beijo apaixonado.
Oh Deus, há dois deles agora. — exclamou Ashley, mordendo o lábio inferior para reprimir seu sorriso.
Dois o quê? — Alguém disse da sala de estar, e todos os três viraram a cabeça em direção da voz. A voz muito familiar.
Vanessa saltou de sua cadeira, quase derrubando-a e correu para a sala de estar.
Mamãe — ela gritou, antes de esmagar o corpo de Gins em um abraço de urso.
O que você está fazendo aqui? — Ela se afastou e olhou para o rosto de sua mãe, ainda incapaz de acreditar que ela estivesse realmente aqui.
Surpresa! — disse Niki, quando se aproximou deles, sorrindo. Vanessa tinha falado com sua mãe há dois dias e ela não tinha mencionado nada sobre sua vinda. — Eu a convenci a tirar umas ferias e vir nos visitar. Afinal, ela é minha melhor amiga e ainda não viu onde eu moro. — Ela piscou para Gina, que irradiava alegria pura.
Vanessa não sabia que as duas mulheres tinham conseguido reconstruir tão rapidamente a sua relação como tinha sido antes. Sua mãe não tinha mencionado isso e nem sua tia, mas talvez isso fosse uma parte de seu plano. Isso realmente não importa - sua mãe estava aqui e ela estava em êxtase. Vanessa não tinha percebido o quanto ela  sentia falta dela até aquele momento.
Estou tão feliz que você veio. — Vanessa disse, e puxou-a para outro abraço.
Eu também, querida. Eu senti sua falta. De todas vocês. — Gina disse, olhando para Ashley e Niki. Ashley se aproximou para dar um abraço de sua tia.
Bem-vinda, tia Gina. É tão bom vê-la depois de todo esse tempo. — disse Ashley, e Vanessa viu seus olhos erguerem.
Zac apareceu na cozinha e parecia um pouco desconfortável. Era imaginação de Vanessa, ou ele estava nervoso sobre o encontro de sua mãe? Ela sorriu para ele, na tentativa de aliviar o desconforto.
Mãe, esse é Zac. — Vanessa disse, enquanto se aproximava deles. Os olhos de Gina se iluminaram quando ela avaliou-o com um olhar rápido, e seus lábios se abriram em um sorriso.
Olá, Sra. Hudgens, prazer em conhecê-la. — ele disse educadamente, estendendo a mão.
Por favor, me chame de Gina. Prazer em conhecê-lo também, Zac. Eu já ouvi muito sobre você. — Ela sorriu e olhou diretamente para a filha.
Zac corou. Vnessa nunca tinha imaginado que isso era mesmo possível. Ele parecia tão frio e arrogante o tempo todo, ela nunca em um milhão de anos imaginou que alguém pudesse deixar suas bochechas vermelhas. Era adorável. Seu coração se expandiu com tanto amor por ele que empurrou contra seus pulmões e ela achou difícil respirar.
Vanessa seguiu Niki e Gina lá em cima, para ajudar a sua mãe a se acomodar. Sem ninguém perceber, Niki tinha mudado sua mesa e seu computador para seu próprio quarto, e tinha preparado seu escritório como um espaço para Gina. Tinha um sofá- cama, uma cômoda e um pequeno guarda-roupa, de modo que ela estaria confortável o suficiente. O quarto era pequeno e não tinha banheiro como os outros quartos, mas, pelo menos, Gina teria seu próprio espaço. Vanessa se perguntou se a tia havia passado por todo este problema, por causa dela e de seu relacionamento com Zac. Se Zac não estivesse dormindo em sua cama todas as noites, ela poderia ter partilhado o quarto com sua mãe, havia espaço mais do que suficiente para as duas. Mesmo que Niki trabalhasse longas horas, ela ainda conseguiu prestar atenção ao que estava acontecendo ao seu redor. Talvez ela sentisse o quanto era importante para Vanessa passar o máximo de tempo possível com Zac, simplesmente porque ambas sabiam que o seu tempo com ele era limitado.
Empurrando todos esses pensamentos deprimentes de sua cabeça, Vanessa deixou Niki e sua mãe para desfazer as malas e voltou para a cozinha, onde Zac e Ashley estavam discutindo sobre se “Lost” ou “Prison Break” era o melhor show já transmitido na TV. Ela decidiu ficar de fora, pelo menos até que o alimento estivesse em ordem, e levou os pratos e talheres para colocar na mesa.
O jantar foi perfeito. Pela primeira vez desde que Eric e seu pai tinham morrido, Vanessa achava que tinha todas as pessoas que ela amava ao seu redor. Todo mundo parecia de bom humor também. Até mesmo Zac conseguiu relaxar perto de Gina, especialmente depois de todo mundo o cumprimentar pela deliciosa refeição que ele tinha, mais uma vez, preparado para eles.
Niki dividiu o resto do plano para a estadia de Gina - ela também tinha tirado um tempo fora do trabalho, deixando sua assistente responsável pelo spa. Ela queria mostrar a Gina tanto da Itália quanto possível, no curto espaço de tempo disponível - o que significava que elas estariam viajando muito, e Vanessa não seria capaz de passar tanto tempo com sua mãe. Ela estava bem com isso - em um tempo muito curto, seriam apenas as duas em Londres. Vanessa estava feliz por sua mãe ter a oportunidade de reacender sua amizade com Niki. Gina precisava desesperadamente de sua melhor amiga em sua vida novamente.
Quando terminaram de comer, Niki e Gina entraram na sala para terminar seu vinho e conversar. Vanessa ficou para trás para ajudar com os pratos, mesmo que Zac e Ashley tentassem fazê-la ir com a mãe. Ela sentiu que precisava dar a Niki e Gina algum tipo de privacidade, era o que elas precisavam naquele momento. Ela conversaria com sua mãe mais tarde.
Logo, a cozinha estava arrumada, a máquina estava cheia e funcionando, e  Ashley tinha tirado três copos para eles. Colocou suco de laranja em um, e Prosecco no outro.
O que você vai beber, Zac? Prosecco, cerveja, vinho tinto? — ela perguntou.
Nada para mim. Acho que vou tomar uma cerveja com Beppe. — Ele olhou para Vanessa incerto, esperando sua reação.
Você quer sair hoje à noite? — perguntou Vanessa, surpresa.
Eu não quero, mas eu acho que deveria. Você ainda não viu sua mãe em semanas e, talvez, vocês duas queiram ter algum tempo a sós. — Ele mordeu o lábio inferior e olhou para baixo.
Ash, você pode nos dar um minuto? — Ashley acenou com a cabeça e, pegando seu copo, entrou na sala de estar. — Zac, não saia. Eu não vou ficar sozinha com minha mãe de qualquer maneira, Niki e Ashley também estão aqui. Ela provavelmente está cansada e vai para a cama cedo. Eu vou ter todo o tempo do mundo para estar com a minha mãe quando eu voltar para casa, ela não está aqui por mim.
Zac não pareceu convencido, e Vanessa sentiu que havia algo mais.
Você está nervoso perto de mamãe, porque nós dormimos juntos? — Zac olhou para o lado e não respondeu a pergunta, o que fez Vanessa dar um sorriso. Este homem de vinte e dois anos de idade, que não tinha nenhum problema em começar brigas sobre ela e beijá-la sem sentido, sem prestar atenção em quem estava por perto, estava com vergonha de dormir com ela, quando sua mãe estava na mesma casa. — Zac, isso é ridículo. Eu disse a minha mãe que estamos namorando e ela sabe que você passa a noite aqui. Além disso, ela é muito compreensiva, uma pessoa aberta. Você não tem nada com se preocupar.
Eu quero que ela goste de mim. — disse Zac, em voz baixa, como se ele não tivesse certeza se deveria dizer isso. O coração de Vanessa pulou uma batida.
Ela já gosta de você, amor. Ela vê o quão feliz você me faz e isso já é uma razão boa o suficiente para que ela goste de você. Por favor, não vá embora. Ela adoraria se você ficasse.
Ok.

Vanessa sorriu feliz, e levou Zac para a sala antes que ele mudasse de ideia.
~*~*~*~*~
 Hey meus amores! O fim está próximo. 
Faltam apenas mais sete capítulos para o grand finale!
 Sinto falta de vocês comentando e deixando a opinião de vocês! 
Espero que esse capítulo tenha muitos comentários, hein?!
 E obrigada a todas que estão sempre presentes. 
Amo muito vocês ♥